Home | Crianças | Varicela

Varicela

image

A varicela é uma doença infecciosa transmitida facilmente de criança para criança, causada pelo vírus varicela – zoster. É mais frequente em crianças entre 1-10 anos e tem cura. Após o diagnóstico médico a criança deve ficar em casa 10 dias, para recuperar e evitar passar aos outros.

Depois de curada, a criança fica imune (resistente) à doença mas, o vírus fica “adormecido” no organismo. Pode surgir anos mais tarde sob a forma de herpes – zoster (cobro) com vesículas dolorosas centradas geralmente no tronco.  

Nos adultos e em pessoas imunodeprimidas pode deixar sequelas (marcas) e até provocar a morte. Nos primeiros meses de gravidez é perigoso para o bebe porque pode provocar mal formações ou a morte.

 

Transmissão

A doença é transmitida de pessoa em pessoa através da saliva (espirro, tosse), da mãe para o feto pelo cordão umbilical ou pelo contacto com o líquido das vesículas (bolhas vermelhas).

É bastante contagiosa, pelo que uma criança com varicela é suficiente para transmitir às restantes da casa onde mora ou na escola que frequenta.

A doença surge +/- 2 semanas após o contacto com um doente (incubação) e a transmissão 1 a 2 dias antes de aparecerem as vesículas e acaba por volta do 8º dia quando estas ficam com crosta. A criança pode transmitir a doença até que a última bolha fique com crosta.

O nosso sistema imunitário (defesa) ataca o vírus para evitar a replicação e promove a cura sem necessitar de tratamento específico. Mas, o sistema imunitário não tem capacidade para eliminar o vírus, pelo que este fica latente (adormecido) no organismo para o resto da vida.

 

Sinais e sintomas:

A intensidade dos sintomas depende da quantidade de vírus que se conseguiu reproduzir e da resposta do mecanismo de defesa do organismo. Pode surgir:

- Febre, mal-estar

- Perda de apetite

- Dor de cabeça

- Erupção cutânea – inicialmente surgem manchas vermelhas e planas (máculas) que se enchem de líquido formando vesículas (pápulas), algumas com pus (pústula).

- Crosta – surge após a fase descrita no ponto anterior

- Prurido (comichão)

Ao fim de uma semana já não aparecem manchas novas e ao oitavo dia já formaram crosta, não havendo por isso perigo de transmitir a outros. As manchas aparecem em qualquer parte do corpo, podendo ser dolorosas nas mucosas (boca, ânus, vagina).

Se a criança apanhou a doença por estar em contacto com outra na mesma casa, a intensidade da doença vai ser maior porque esta esteve mais tempo exposta ao vírus.

Geralmente, nas crianças até aos treze anos a doença evolui favoravelmente.

O vírus pode atacar órgãos como o sistema nervoso central, pulmões, fígado, provocar infecções bacterianas na pele e hemorragias (sangrar).

No sistema nervoso as sequelas são a ataxia cerebelar (perda do controle dos movimentos) e encefalite (infecção do encéfalo). A ataxia ocorre em crianças com menos de 15 anos, caracterizada pela perda da coordenação motora, tonturas, vómitos, tremores e alteração na fala. Pode surgir desde o 7º ao 21º dia e geralmente ao fim de um mês a criança está curada.

A encefalite é mais grave e típico dos adultos. Há dor de cabeça, perda da consciência, febre, vómitos e convulsões. Pode deixar sequelas neurológicas e causar morte.

Os problemas pulmonares (ex: pneumonia) são mais frequentes em adultos. Surge nos primeiros dias da varicela e o doente sente falta de ar, tosse, febre e apresenta os batimentos (frequência) cardíacos mais rápidos. Ao fim de 2-3 dias fica curado.

Se o doente apresentar bastantes lesões na pele é sinal que o sistema imunitário não funciona correctamente pelo que a pneumonia pode evoluir para insuficiência respiratória e morte.

As plaquetas são responsáveis pela coagulação do sangue. Se o nível de plaquetas for baixo (plaquetopenia) pode provocar em raros casos varicela hemorrágica. O doente começa a sangrar de uma forma inesperada no 2º - 3º dia após surgirem as manchas, pelas lesões da pele, nariz (epistaxis), gengivas, aparelho urinário (urina), aparelho digestivo nas fezes (melenas) e aparelho respiratório (hemoptise).

Nos 3 primeiros meses de gravidez, pode ocorrer em raros casos mal formação no bebe. Se a mãe contrair a doença até cinco dias antes do parto ou logo após, há grande probabilidade de passar para o bebe o vírus e não os anticorpos (combatem o vírus) porque o organismo da mãe ainda os estava a produzir. Nesta situação o bebe pode sofrer problemas em vários órgãos e até morrer.

A varicela não necessita normalmente de internamento. Os doentes ao coçarem-se abrem feridas na pele por onde entram bactérias que infectam a pele e tecido implicando internamento. Se a bactéria entrar em algum vaso sanguíneo pode provocar sepsis (infecção no sangue) ou espalhar-se para outros órgãos. É comum nas crianças com menos de um ano a pneumonia bacteriana devido à bactéria imigrar até aos pulmões. É curável na maioria dos casos.

Prevenção

A prevenção é feita com a vacinação.

 

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico é feito através da observação das vesículas.

O tratamento consiste apenas em aliviar os sintomas. O médico pode prescrever anti-histamínicos para reduzir a comichão e antibiótico para as infecções bacterianas. O organismo encarrega-se de resolver o resto.

Além dos anti-histamínicos, a criança deve ter as unhas cortadas rentes para evitar lesões na pele ao se coçar. A criança ao se coçar arranca a crosta e pode provocar cicatrizes que ficam para toda a vida.

Nos casos mais graves pode ser necessário o doente fazer um medicamento anti-viral – aciclovir.

As grávidas, recém-nascidos e imunodeprimidos necessitam de maior vigilância. 

 

Referencias:Diagnóstico e Terapêutica em Medicina Interna - Otto Miller,

Enfermagem Médico - Cirúrgica - Conceitos e Prática Clínica Segunda Edição em Português, Tradução da Quarta Edição em Inglês, Vol I, Vol II