Home | Adultos | Alterações do ritmo cardíaco

Alterações do ritmo cardíaco

Tamanho da fonte: Decrease font Enlarge font
image

publicidade

As arritmias são alterações ao ritmo cardíaco considerado normal. Surgem quando os impulsos eléctricos do coração, responsáveis pela coordenação dos batimentos, não são eficazes, levando o coração a bater mais rápido (taquicardia), mais devagar (bradicardia) ou de forma irregular (arritmia).

 

Tipos de alterações cardíacas

As classificações são feitas de acordo com a origem e ritmo cardíaco durante a arritmia. Há a taquicardia, bradicardia, fibrilhação arterial, flutter, taquicardia supraventricular ou Síndrome de Wolff-Parkinson-White, Taquicardia ventricular, fibrilhação ventricular e síndrome do Qt longo.

Taquicardia – é considerado taquicardia quando o batimento cardíaco numa pessoa em repouso é superior a 100 batimentos por minuto, o ritmo é rápido.

Bradicardia - é considerado bradicardia quando o batimento cardíaco numa pessoa em repouso é inferior a 60 batimentos por minuto, o ritmo é lento. Nos atletas é natural a frequência cardíaca ser mais baixa.

Se a taquicardia tiver origem nas aurículas, pode desencadear a fibrilhação arterial, flutter, taquicardia supraventricular ou Síndrome de Wolff-Parkinson-White.

A fibrilhação arterial é uma arritmia comum onde o ritmo do coração é rápido e caótico. É mais frequente nas pessoas mais idosas devido ao desgaste do coração e é muitas vezes acompanhada de hipertensão arterial ou outras doenças cardíacas. O impulso eléctrico é transmitido de forma descoordenada, provocando frequências cardíacas elevadas e contracções ineficazes. O ritmo das aurículas e ventrículos é geralmente irregular.

A fibrilhação pode ser temporária ou um problema permanente. É perigosa, porque ao longo do tempo, pode causar doenças mais graves, como por exemplo o acidente vascular cerebral.

O flutter arterial é uma situação parecida com a taquicardia arterial, mas o ritmo das aurículas e ventrículos é regular. Pode ser fatal.

Taquicardia supraventricular inclui muitas formas de arritmia originárias acima dos ventrículos (supraventricular). Há um “disparo” de batimentos cardíacos rápidos que começa e termina de forma súbita e pode durar de segundos a horas. Esta taquicardia começa frequentemente quando o impulso eléctrico de um batimento cardíaco circula várias vezes através de um circuito extra. O coração pode bater de 160 a 200 vezes por minuto.

A taquicardia supraventricular é frequentemente causada por uma doença cardíaca subjacente. Normalmente, não é fatal caso não haja outra doença cardíaca. As pessoas sentem-se muito desconfortáveis com os batimentos cardíacos. Estas arritmias são comuns em jovens.

Síndrome de Wolff-Parkinson-White é uma das causas da taquicardia supraventricular. Esta arritmia é provocada por uma via eléctrica extra entre os átrios e os ventrículos. Esta via pode permitir que a corrente eléctrica passe das aurículas para os ventrículos, por uma segunda via, sem ser pelo nódulo auriculoventricular, levando a “curtos-circuitos” e batimentos cardíacos rápidos.

As taquicardias nos ventrículos incluem:

Taquicardia ventricular – o coração bate de forma rápida e regular. É desencadeada por alterações nos impulsos eléctricos e começa nos ventrículos. Muitas vezes, tem origem no impulso eléctrico que viaja em torno de uma cicatriz originada por exemplo numa sequela de um ataque cardíaco anterior. Os ventrículos podem contrair a mais de 200 batimentos por minuto.

A maioria ocorre em pessoas que sofrem de algum tipo de problema cardíaco, como cicatrizes, dano no músculo do ventrículo esquerdo de doença arterial coronária ou ataque cardíaco. Pode durar 30 segundos ou menos (não sustentada), é geralmente inofensiva, mas provoca batimentos cardíacos ineficazes.

A taquicardia ventricular insustentável pode passar a sustentável. É uma arritmia ventricular grave e é uma emergência médica. Sem tratamento médico imediato, a taquicardia ventricular sustentada, muitas vezes desencadeia uma fibrilhação ventricular.

A fibrilhação ventricular é um tipo de arritmia que é mortal. Ela ocorre quando o coração bate de forma rápida e descoordenada. Isso faz com que as câmaras de bombeamento de coração (ventrículos) tremam de forma inútil, ao invés de bombear sangue. A pressão arterial vai descer de imediato, levando ao suprimento de sangue para órgãos vitais - incluindo o cérebro. A maioria das pessoas perde a consciência em segundos e requerem assistência médica imediata, incluindo a reanimação cardíaca.

A taxa de sobrevivência depende da realização de suporte básico de vida por pessoas qualificadas, para ajudar a manter o fluxo sanguíneo para os órgãos vitais (cérebro e pulmões) até chegarem os meios próprios, ou seja, um desfibrilhador, para dar um choque para o coração voltar a bater a um ritmo normal.

Sem suporte básico avançado de vida (desfibrilhador), a taxa de recuperação com ou sem sequelas decresce em minutos. A maioria dos casos de fibrilhação ventricular está ligada a doença cardíaca.

O Síndrome do QT longo é um distúrbio do ritmo cardíaco que pode potencialmente causar rápidos batimentos cardíacos caóticos. Os batimentos cardíacos rápidos, causados por alterações no coração fazem com que ele bata dessa forma. Pode levar a desmaios, que podem ser fatais. Em alguns casos, o ritmo do coração pode ser tão irregular que pode causar morte súbita

As pessoas com mutação genética e cardiopatias congénitas têm maior risco de síndrome do QT longo. Além disso, alguns medicamentos podem causar a síndrome do QT longo.

Apesar de uma frequência cardíaca abaixo de 60 batimentos por minuto em repouso ser considerada bradicardia, nem sempre é sinal de um problema. As pessoas fisicamente aptas, podem ter um coração eficiente, capaz de bombear um suprimento adequado de sangue com menos de 60 batimentos por minuto em repouso.

À semelhança das taquicardias, as bradicardias também têm várias origens.

Se o nódulo sinusal, responsável por ditar o ritmo do coração, não está a enviar impulsos de forma adequada, a frequência cardíaca pode ser lenta, acelerar e desacelerar de forma intermitente. Se o nódulo sinusal está a funcionar correctamente, a bradicardia pode ser causada por uma cicatriz perto do nódulo sinusal que vai retardar, interromper ou bloquear a passagem dos impulsos.

Outra situação pode ocorrer devido a um bloqueio no percurso de transmissão do impulso eléctrico do coração. Pode ocorrer dentro ou perto do nódulo auriculoventricular. Também pode ocorrer ao longo do percurso para cada ventrículo (fibras de Purkinje e feixe de His). Dependendo da localização e do tipo de bloqueio, os impulsos entre as aurículas e ventrículos podem ser retardados ou bloqueados.

Embora muitas vezes se sinta como um batimento cardíaco ignorado, o batimento cardíaco prematuro é realmente uma batida extra entre dois batimentos cardíacos normais. Batimentos prematuros ocorrem nos ventrículos antes destes terem tempo para se encher de sangue após um batimento cardíaco regular.

Em algumas situações não é necessário recorrer ao uso de medicação, nas chamadas arritmias benignas. Normalmente, é necessária somente se a arritmia desencadear sintomas significativos, ou se houver risco de desencadear uma arritmia ou complicação mais grave.

 

Referencias: Cardiac Arrhythmias - Editora: McGraw-Hill Inc.

 

Última atualização desta página:

Poderá querer ler também sobre
      

publicidade

   

Faça o seu comentário

  • email Enviar a um amigo
  • print Versão p/ impressão
  • Plain text Texto
  • Plain text Acompanhe o Conhecer Saude no Twitter




Info do(a) Autor(a)
image , concluiu Curso Superior de Enfermagem em 1996 e a Licenciatura em Enfermagem em 2001. Fez em 2003 o Curso Inicial de Formadores e renovou em 2008. Editora do Conhecer Saúde.
Health On the Net Foundation


Publicidade