Home | Adultos | Você sabe quanto pode beber?

Você sabe quanto pode beber?

Tamanho da fonte: Decrease font Enlarge font
image o quanto é tóxico para seu organismo.

publicidade

o quanto é tóxico para seu organismo.

SEJA UM BÊBADO  ... MAS SEJA UM BÊBADO BEM INFORMADO!!!

 

1 – Quando ingerimos a bebida alcoólica, quais são os “passos seguintes” no corpo?

A bebida alcoólica que você ingere no barzinho ao lado da faculdade, ou na balada de fim de semana vai para todos os  órgão do corpo. Ao ser ingerido  pela boca, a bebida vai direto para o estômago, onde é absorvida. Daí, cai na corrente sanguínea e chega a todos os órgãos do corpo humano, sem exceção, o fígado é o órgão que mais sofre, "Cada vez que uma pessoa ingere uma bebida alcoólica, o etanol será metabolizado no fígado cria  uma lesão e depois cai na corrente sangüínea. De lá ele é levado até o cérebro. A sensação inicial é de euforia e desinibição. Mas a longo prazo, ele passa a ter o efeito depressivo e acaba causando sonolência e diminuição dos reflexos. Aos poucos ele vai sendo absorvido pelo organismo.

Só cerca de 5% do álcool ingerido é eliminado diretamente através da expiração, saliva, transpiração e urina. O restante passa rapidamente para a corrente sanguínea através das paredes do estômago e da parte superior do intestino delgado sem sofrer qualquer transformação química.Uma vez no sangue, o álcool é transportado pelos vasos sanguíneos para os diversos órgãos, passando pelo grande purificador que é o fígado que só lentamente procede à sua decomposição, a uma média de 0,1 g/l por hora. Quando o álcool atinge o cérebro, órgão abundantemente irrigado de sangue, afeta, progressivamente, as capacidades sensoriais, perceptivas, cognitivas e motoras, incluindo o controlo muscular e o equilíbrio do corpo.

O fígado é o principal órgão responsável pela metabolização do álcool. Em média se gasta uma hora para o fígado processar um drinque. Se uma pessoa permanece bebendo 3 drinques por dia o corpo mostra sinais de estresse pela sobrecarga do trabalho de eliminação do álcool. Após poucas semanas ingerindo 4 ou 5 drinques por dia as células do fígado começam a acumular gordura, e se a pessoa insiste em beber pode surgir hepatite alcoólica, com inflamação e destruição das células do fígado. Isto conduz à cirrose, que é uma doença irreversível e progressiva que leva à morte. Cerca de 15% das pessoas que insistem em beber após a hepatite alcoólica, desenvolve cirrose hepática.

É ai que a coisa complica.  O aumento dessas lesões pode causar uma agressão irreversível ao figado , a “cirrotização” se não for tratada no início, pode levar o indivíduo à morte", Os sintomas dessa doença, é o amarelamento da pele e a barriga inchada. Além disso, o médico aponta outros problemas. Num estágio mais avançado, a cirrose pode causar problemas hormonais, já que o fígado é importante nesse processo. O indivíduo pode ter alterações nas unhas, perder pelos e até o apetite sexual, Para os jovens, o problema é ainda maior. Num ser humano que tem entre 15 e 25 anos, o cérebro está em formação. Nesse caso, a ingestão exagerada de álcool pode causar perda de memória, de concentração, de raciocínio lógico, e isso pode chegar num estágio irrecuperável. Mas os problemas não estão apenas no fígado e no cérebro. O corpo todo está em risco com o exagero de bebidas alcoólicas. Todos os órgãos do corpo humano podem ser afetados. Problemas nos rins, nos pulmões, dores por todo o corpo por causa dos nervos, são sintomas normais de um alcoólatra.

As bebidas com teor alcoólico mais alto -destilados (uísque, vodca, pinga) - é que provocam maior estrago. Elas são absorvidas mais rapidamente pelo corpo. Por dedução lógica, os fermentados (vinho, cerveja) fazem menos mal, então cuidado: tudo gira em torno da quantidade. 

2 – A sensação de “estar bêbado” é uma conseqüência do que acontece no fígado?

A sensação mais comum é a de tontura. Podemos chamar tontura toda e qualquer sensação de alteração do equilíbrio corporal: sensação de estar bêbado; de queda iminente; de turvação da vista; de desmaio; etc. É a tontura rotatória. Muitas vezes, poderá estar acompanhada de náuseas; vômito; sudorese e taquicardia. O álcool afeta a coordenação psicomotora.

3 – Uma pessoa que sofre coma alcoólico... qual é a situação do corpo dela neste momento?

Os principais efeitos do álcool ocorrem no sistema nervoso central (SNC), onde suas ações depressoras assemelham-se às dos anestésicos voláteis. Os efeitos da intoxicação aguda pelo etanol no homem são bem conhecidos e incluem: uma fala arrastada, incoordenação motora, aumento da autoconfiança e euforia. O efeito sobre o humor varia de pessoa para pessoa, e a maioria delas torna-se mais ruidosa e desembaraçada. Alguns, contudo, ficam mais morosos e contidos. Em níveis elevados de intoxicação, o humor tende a ficar instável, com euforia e melancolia, agressão e submissão. O desempenho intelectual e motor e a discriminação sensitiva são também prejudicados. O álcool gera uma sensação de calor; aumenta a saliva e o suco gástrico e o uso freqüente  pode gerar lesão no estômago e gastrite crônica.

Beber sem controle pode levar a pessoa ao coma alcoólico, que se manifesta com a ausência de respostas a estímulos leves como não dar atenção a um simples chamado. O coma alcoólico,é o estágio mais grave e leva a pessoa alcoolizada à UTI podendo até causar a morte através de parada respiratória.
Pessoas que não estão acostumadas a beber dificilmente chegam nesse ponto pois, ao perceber que estão mal, deixam a bebida de lado. Quem entra em coma alcoólico apresenta um nível de consciência tão baixo que não responde a nenhum estímulo.

Antes de uma pessoa chegar ao coma, existe o “estado de alerta” no qual ela consegue se movimentar ou conversar diante de algum estímulo. Tem ainda o “estado de sonolência” em que o paciente fica com o corpo mole, mas ainda está consciente.

O torpor é outro estágio, já um pouco avançado, vai desde a sonolência até o risco do coma alcoólico. Divertir-se é bom, mas evitar abusos é melhor ainda”.

A associação do álcool  e fumo formam uma dobradinha perigosa. Quanto mais nicotina, menos oxigênio no sangue e mais rápido se dá o processo de intoxicação. 

 

Efeitos mais comuns do álcool nos diferentes órgãos:

1-Cérebro:
Induz ao sono: Quem exagera na dose, costuma ter sono rapidamente. Muitas vezes, até dorme na mesa do bar. É o álcool fazendo efeito. O sono, no entanto, chega rápido e dura  pouco. A  noite de quem bebeu demais é, normalmente, mal dormida.

 

Deprime as atividades motoras: O indivíduo, quando embriagado, fica desajeitado e com dificuldade para desempenhar atividades que exijam atenção, equilíbrio e reflexo.


Deprime as atividades intelectuais: No início, quem bebe torna-se desinibido. Em seguida, porém, o indivíduo pode tornar-se agressivo e, por fim, indiferente.

2-Coração:
Modifica a atividade cardíaca: O álcool deprime os músculos do corpo e, entre eles, o coração. Por isso, o órgão bate com mais dificuldade e envia menos sangue ao resto do organismo. O que pode prejudicar a nutrição do corpo.

3-Fígado:
Reduz os níveis de glicose: O fígado é o órgão responsável por acumular e liberar glicose para todo o resto do organismo. Sua função é limitada pelos efeitos do álcool e, por isso, o indivíduo embriagado pode ter uma crise de hipoglicemia.

Provoca dor de cabeça: No processo de fermentação ou destilação do álcool, muitos elementos tóxicos são produzidos. Eles compõem a bebida e, no corpo, provocam intoxicação e dor de cabeça.

4-Rins:
Diurético: Existe um hormônio que inibe a produção rápida de urina chamado antidiurético. O álcool inibe tal substância e, portanto, leva o indivíduo a urinar todo o tempo. É por isso que as idas ao banheiro são comuns. A eliminação de líquido mais rápida do que o normal piora a desidratação.

5-Estômago:
Irrita o tecido: Em torno de 70% do álcool ingerido é absorvido (jogado na corrente sanguínea) pelo estômago. O intestino delgado se responsabiliza pelos outros 30%. A ação da bebida no tubo digestivo provoca náusea e vômito, agravando ainda mais a desidratação.

4-E o dia seguinte? Todos os sintomas que sentimos de mal estar são decorrências dos estragos causados no fígado ou outras partes do corpo são afetadas?

 O gosto de cabo de guarda-chuva na boca, dor de cabeça, estômago embrulhado, indisposição são sintomas de ressaca, que poderá marcar o primeiro dia do ano novo de muita gente.Se você bebeu demais, pode começar a se preocupar em prevenir a dor de cabeça consequência  comum da intoxicação aguda pelo  álcool.

Ocorre um mal-estar comum nos dias seguintes às grandes ingestas de alcool. A ressaca é o resultado da intoxicação pelo álcool ingerido em excesso.

5 – Se a pessoa beber, quais as recomendações? (alimentação, hidratação?)

O melhor remédio para a ressaca é ingerir bastante líquido". O álcool provoca a desidratação do organismo. A ingestão de água dilui o álcool e facilita o trabalho do fígado e dos rins, na hora de eliminar os resíduos tóxicos.

Não se esqueça: beba bastante água antes, durante e depois da bebedeira. Ela pode até não evitar a ressaca por completo, mas irá ajudar a recuperação. Tome de 3 a 5 litros de água.

Sabe aquela desculpa clássica de quem passou da conta - não comi nada antes, ela tem o seu fundo de verdade. Quando você ingere álcool de estômago vazio, o álcool e absorvido mais rapidamente e,  consequentemente, você vai ficar embreagado bem mais fácil. Por isso, antes de tomar todas faça um  refeição.

Beber de barriga vazia é pior, muito pior. Estar bem alimentado significa que o etanol não estará sozinho na corrida da digestão. O organismo vai dividir as energias entre as duas tarefas, e isso tornará mais lenta a entrada do álcool na corrente sanguínea.

De preferência, alimentos ricos em sal e gordura. Castanha, amendoim, queijo e, para extrapolar, salaminho. O sal e a gordura estimulam a secreção de substâncias estomacais que protegem o estômago do álcool.
A alimentação do dia seguinte também é importante. "Dê preferência a alimentos leves, não muito gordurosos, que não dependam muito do metabolismo hepático". A ingestão de gorduras pode acabar agredindo o seu - já irritado - sistema digestivo, sob o risco de você sofrer ainda mais com os enjôos.

Alimentos de fácil digestão para não estressar ainda mais o organismo, já detonado pelo esforço de processar o álcool. Os campeões: frutas, para re-hidratar e repor as vitaminas, e pão, batata e massas, para obter glicose rapidamente e fornecer energia ao corpo.

O álcool também age diretamente no fígado - órgão responsável pelo acúmulo e liberação de glicose para todo o organismo, provocando a redução de açúcar no sangue (hipoglecimia).

A injeção de glicose, prática comuns nos pronto-socorros, faz com essa taxa se normalize e acelere a queima do álcool, facilitando a recuperação. Mesmo que o caso não requeira uma visita ao pronto-socorro, fica outra dica: consuma doses extras de açúcar.

Boa alimentação: Manter-se bem alimentado. A comida é fundamental para repor os sais perdidos durante a embriaguez, depois dos frequentes enjôos e vômitos.

Hidratação:Beber muito líquido enquanto se ingere álcool e no dia seguinte. O álcool retira água das células e o líquido é importante para conter a desidratação.

 A dica para acordar legal no dia seguinte é simples e eficiente: intercale um copo d'água entre dois da bebida. A água é o verdadeiro santo remédio anti-ressaca. Ela re-hidrata, dilui o álcool e facilita o trabalho dos rins e do fígado. Trocar a água por suco ou refrigerante também pode. Essas bebidas são ricas em carboidratos, que viram energia e ajudam a metabolizar o álcool.

Repousar em lugar escuro e, de preferência, sem barulho em volta. A dor de cabeça do dia da ressaca costuma aumentar a sensibilidade à luz e ao som

Tomar analgésicos simples para a dor de cabeça. Os resultados do tratamento costumam passar em poucas horas, mas é importante evitar beber novamente.

Quem sofre de enxaquecas deve evitar bebida alcoólica sempre quando possível. Está provado que o álcool (especialmente do vinho tinto, da vodca e da aguardente) acelera o mal.

Não tente curar ressaca ingerindo mais álcool. Os sintomas, de fato, passam - muitos dos incômodos apresentados durante a ressaca acontecem porque o corpo sente falta de álcool. Porém, o costume pode levar ao alcoolismo.

 

6-Se tiver ressaca, o que fazer? De que forma recuperar o estado normal rapidamente? Isto é possível?

Você acorda com uma sensação estranha. A princípio não sabe bem o que é. A pergunta que não quer calar: o que aconteceu? Tenta se levantar e ... não. Espere. A sua cabeça parece que vai explodir. Resolve se recostar na cama novamente - se é que você conseguiu chegar até a cama na última noite. De repente, além da dor de cabeça, você se sente enjoado, com o estômago embrulhado, um gosto horrível na boca. É isso mesmo: você está de ressaca!.

O que fazer?

Repouso. Mantenha a luz apagada, cortinas fechadas e fique deitado. 
Isso reduz a sensibilidade à luz. Aproveite o momento introspectivo para fazer a mais clássica das promessas:"Nunca mais vou botar uma gota de álcool na boca".

 

7 – Muitas pessoas ficam de ressaca e tomam remédios para acabar com a dor de cabeça, estômago, etc. Isto não afeta ainda mais o fígado?

 

A dor de cabeça é insuportável; o álcool desidrata o corpo, do dedão do pé ao cérebro. Da seguinte maneira: o etanol inibe a produção do hormônio antidiurético, e a gente faz muito mais xixi. Portanto, a cabeça dói porque os neurônios sentem sede, literalmente. 
Ressaca não mata. Todos os sintomas desaparecem em 24 horas. Mas alto lá: se você ficar de ressaca todo dia, também pode acabar com gastrite, pancreatite, cirrose ... Aí, sim, não vai durar muito...
Tudo o que existe apenas dribla os sintomas. O Engov  por exemplo, tem hidróxido de alumínio, que alivia os males digestivos; tem AAS, que é um analgésico; e tem cafeína, que contrai os vasos sanguíneos dilatados pelo álcool e, assim, diminui o mal-estar.
 
curiosidades

Mais de 1.000  brasileiros morrem, por ano, vítimas de acidentes causados por excesso de álcool e cerca de 10% de todos os acidentes com vítimas, resultam de dirigir com excesso de álcool no sangue. Isso porque a bebida alcoólica dá uma falsa sensação de segurança; causa euforia; diminui o controle muscular e a coordenação; prejudica a habilidade de avaliar velocidades, distâncias; reduz a acuidade visual e a capacidade de lidar com o inesperado.

O consumo de álcool é medido por doses. Uma dose equivale a 14 gramas de álcool. Para se obter a dose-equivalente de uma determinada bebida, deve-se multiplicar a quantidade da mesma por sua concentração alcoólica. Tem-se, assim, a quantidade absoluta de álcool na bebida.

Os filhos de pais alcoólatras têm um risco até 4 vezes maior de desenvolver a dependência. Existem também os fatores genéticos que predispõem ao vício. O álcool provoca o desejo  mas rouba a performance do homem nas relações sexuais, podendo torná-lo momentaneamente impotente. Se não bastasse, o uso do álcool aumenta as chances de você ter comportamento de risco para a AIDS (transar sem camisinha).

Estudos já constataram maior risco relativo para suicídio e acidentes fatais entre mulheres que consumiam acima de 3 doses diárias de bebidas alcoólicas.Beber de maneira excessiva regularmente pode danificar o cérebro de adolescentes e de jovens adultos, destruindo as células que ajudam a governar o aprendizado e a memória.

 

EFEITOS DO ÁLCOOL - DOSE DADA EM mg etanol/100 ml de sangue

DOSE

EFEITO DO ETANOL

40

  início da embriaguez ou do estado de euforia

150

  intoxicação grave

300

  coma alcoólica

500

  morte por insuficiência respirató

 

Segundo a Secretaria Municipal de Transportes de São Paulo,os efeitos do álcool (Etanol) sobre um indivíduo com 70 kg de peso, podem ser descritos como se segue:

 

 

EFEITOS DO ÁLCOOL

DOSE (g/l)

EQUIVALENTE

EFEITOS

0,2 a 0,3

1 copo cerveja, 1 cálice peq.vinho, 1 dose uísque ou de outra bebida destilada

As funções mentais começam a ficar comprometidas. A percepção da distância e da velocidade são prejudicadas.

0,31 a 0,5

2 copos cerveja, 1 cálice grande de vinho, 2 doses de bebida destilada

O grau de vigilância diminui, assim como o campo visual. O controle cerebral relaxa, dando a sensação de calma e satisfação.

0,51 a 0,8

3 ou 4 copos de cerveja, 3 copos de vinho, 3 doses de uísque

Reflexos retardados, dificuldades de adaptação da visão a diferenças de luminosidade; superestimação das possibilidades e minimização de riscos; e tendência à agressividade.

0,81 a 1,5

grandes quantidades de bebida alcoólica

Dificuldades de controlar automóveis; incapacidade de concentração e falhas de coordenação neuromuscular.

1,51 a 2

grandes quantidades de bebida alcoólica

Embriaguez, torpor alcoólico, dupla visão.

2,1 a 5

grandes quantidades de bebida alcoólica

Embriaguez profunda.

> 5

grandes quantidades de bebida alcoólica

Coma alcoólico.

 

Mais informações:

Dra. Eloiza Quintela                                                       

Médica Gastro- hepatologista especialista no tratamento das doenças do fígado

Membro da Sociedade Brasileira de Hepatologia

Contatos: 011-3747-3018 ou 5052-1087

http://www.doencasdofigado.com.br/

Biografia da colaboradora (ver aqui)

 

Última atualização desta página:

Poderá querer ler também sobre
      

publicidade

   

Faça o seu comentário

samia on 05/11/2009 13:05:09
avatar
caraca, como um simples ato de falta decuidado com a saúde faz tanto mal, ainda bem q existe recomendações de como se cuidar, e além do mais ter informções por internet... eu tenho um avô alcolatra agora eu sei o quanto ele ta fazendo tanto mal á sua saúde, mais ele é cabeça dura não entende que precisa de ajuda, minha mãe conversa com ele mais mesmo assim não entende...ele de jeito nenhum quer se cuidar, agora mesmo ele ta bebendo, e demora mais ou menos uns 15 a 20 dias na bebedeira.
Então é isso que eu acho desse site...estimula muita gente para tomar cuidado com a bebedeira no final de semana.
Thumbs Up Thumbs Down
1
Watson Pirondi on 03/04/2010 20:26:07
avatar
Tenho um problema que não encontrie neste artigo, mas estou a procura. Quando bebo alcool e depois de parar de beber eu ingerir qualquer produto com açuar ex: Uma coca cola eu tenho uma forte dor abdominal e me leva a uma diarreia se eu não ingerir açucar tudo bem.
Se alguem souber alguma coisa a respeito por favor me avise
Thumbs Up Thumbs Down
0
Henrique Reis on 25/05/2010 17:42:12
avatar
Gostei muito do site vou indicar para utras pessoas com problemas.
E graças a Deus estou tentando parar com a bebida, não e facil pois já bebo álcool a muito tempo
Que Deus me de força e vontade para não colocar mais bebida alcoolica na boca
Thumbs Up Thumbs Down
1
Marcos Silva on 31/01/2011 22:22:32
avatar
informações valiosas para quem precisa, venho lutando a um ano para largar o vicio, consegui certa melhora, mas não o suficiente... é um problema grave,milhões são dependentes mas não reconhecem, sempre que possivel procurem ajudar os que precisam... o alcool acaba com a dignidade humana.
Thumbs Up Thumbs Down
2
Isabela Barros on 04/02/2011 11:09:13
avatar
Muito interessante, e muito bem feito!
Parabeens pelo trabalho de voces :D
Thumbs Up Thumbs Down
1
jonas piro on 29/07/2011 15:35:33
avatar
parabens doutora achei de grande valor aleitura muito explicativa
Thumbs Up Thumbs Down
2
joao caetano on 21/10/2011 01:04:54
avatar
sou transplantado DE RINS ha 3 anos e gracas a Deus estou muito bem, e todos os dias agradeco a Deus pel meu irnao qe min dou o rin.
Thumbs Up Thumbs Down
2
7 1 - 7
  • email Enviar a um amigo
  • print Versão p/ impressão
  • Plain text Texto
  • Plain text Acompanhe o Conhecer Saude no Twitter




Tags
Info do(a) Autor(a)
image Cirurgiã – Gastro hepatologista Graduada pela Escola de Medicina da Santa Casa de Misericórdia em 1992, fez Residência Médica( 05 anos) em Cirurgia Geral e gastro-cirurgia com Concentração em Cirurgia Hepatobiliar e Transplante de Fígado no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Health On the Net Foundation


Publicidade