Home | Adultos | Gravidez ectópica

Gravidez ectópica

Tamanho da fonte: Decrease font Enlarge font
image A gravidez ectópica pode ser uma urgência médica

publicidade

Na gravidez ectópica há fecundação do óvulo, mas a implantação deste é fora do útero. Na grande maioria é feita nas trompas de falópio.

Apenas o útero tem características adequadas em termos de espaço e tecidos para a evolução de uma gravidez. Desta forma, o crescimento do feto fora do útero, vai dilatar a zona onde este se está a desenvolver, causar sangramento e dor, havendo grande probabilidade de ruptura desses tecidos. Nesse caso surgem hemorragias intensas e risco de vida da grávida.

 

Origem

Existem vários factores que podem impedir a passagem do óvulo do ovário, pelas trompas e instalar-se no útero.

Em circunstâncias normais a parede das trompas contrai-se para facilitar a progressão do óvulo desde o ovário até ao útero. Se houver algum problema, esta contracção não é eficaz ou está ausente, impedindo o óvulo de se deslocar, acabando por se implantar na trompa.

Infecções ou inflamações das trompas também podem causar obstrução ou estreitamento.

O crescimento de células do útero em outra parte do corpo (endometriose) ou a cicatrização de tecidos após cirurgias, na zona circundante dos ovários e trompas também pode provocar aderências nos tecidos (tecidos colados uns nos outros), e bloqueio nas trompas.

São raros os casos em que a causa são malformações congénitas (nascença).

 

Consequências

Se o óvulo morrer, este ou é absorvido pelo organismo ou a mulher tem dor e sangra com a expulsão do óvulo. Nestes casos não há diagnóstico de uma gravidez ectópica porque se parte do princípio que ocorreu um aborto. Não são tomadas medidas especiais nestas situações.

Se não morrer, a gravidez ectópica pode ser diagnosticada através de análises ao sangue, onde se constata que os valores das hormonas da gravidez (GCH) não estão a aumentar ao ritmo certo de uma gravidez normal.

Neste caso a trompa vai dilatando com o crescimento do óvulo, provocando dores no fundo da barriga e pode ocorrer sangramento através da vagina, porque o organismo considera-o um corpo estranho e tem tendência a expulsá-lo. Se a gravidez não for interrompida, a trompa pode rebentar e provocar hemorragia severa e morte da mãe.

 

Sinais e sintomas

Os sintomas iniciais são iguais ao de uma gravidez normal, pelo que torna difícil o diagnóstico. Por volta da 4ª semana pode ocorrer:

- Falta da menstruação,

- Náuseas, vómitos, aumento da sensibilidade das mamas, urinar mais vezes.

Na gravidez ectópica também surge:

- Dor no fundo do abdómen – pode ser contínua ou intermitente, variar de intensidade e ser lado oposto à gravidez ectópica

- Dor ao urinar ou defecar,

- Pode apresentar sangramento escuro e mais líquido que o da menstruação,

- Se apresentar hemorragia (sangramento em grande quantidade) interna extensa pode provocar dor nos ombros e pescoço devido ao sangue comprimir alguns nervos e diafragma,

- A hemorragia pode também provocar palidez, aumento dos batimentos do pulso, baixa de tensão, sensação de desmaio e mal-estar.

 

Pessoas atingidas

Há maior probabilidade de sofrer gravidez ectópica se:

- Tem dispositivo intra-uterino (DIU) porque é uma porta de entrada para infecções,

- Tem doenças inflamatórias, por exemplo infecção nas trompas,

- A pílula que está a usar é de progesterona porque diminui a mobilidade dos tecidos das trompas,

- Fez cirurgias na parte inferior do abdómen porque pode provocar aderências nos tecidos.

 

Diagnóstico e tratamento

Todas as mulheres em idade reprodutiva e com dor abdominal pode ser sinal de gravidez ectópica. No hospital é normal o médico pedir um teste de gravidez feito á urina com resultado em 2 minutos ou ao sangue através da avaliação do nível da hormona gonadotrofina coriónica humana (GCH), produzida pela placenta. Estes valores aumentam ao fim de uma semana de gravidez, pelo que no exame ao sangue se o valor for abaixo do previsto para o tempo de gestação, suspeita-se de gravidez ectópica.

O médico pode pedir uma ecografia intravaginal (com uma sonda) ou abdominal ao útero, para visualizar se existe um feto e onde se encontra implantado. Também se pode visualizar se existe alguma massa no abdómen que possa estar a causar a dor.

Também pode ser feito um exame pélvico, porque a ecografia pode não detectar alterações, para visualizar melhor se existe alguma gravidez ou outra alteração.

Se o médico não conseguir encontrar uma causa para os sintomas, porque uma gravidez ectópica num feto inferior a 5 semanas de gestação é difícil de diagnosticar, pode pedir para regressar ao hospital com frequência para a observar e avaliar os valores de GCH. Também efectuará ecografia até que se consiga confirmar a gravidez e localizar onde se está a desenvolver a gravidez ectópica.

Se a gravidez estiver no início, pode ser fornecido medicação para provocar a expulsão do embrião. Há menor probabilidade de danificação da trompa ou tecidos onde está implantado.

Numa fase avançada da gravidez, tem que se realizar de uma cirurgia na parte inferior do abdominal para retirar o embrião e os tecidos onde está implantado.

Se não houver lesão das trompas, a cirurgia pode ser feita por via laparoscópica. O cirurgião faz quatro incisões (furos) pequenas na parte inferior do abdómen, por onde consegue realizar a operação. A recuperação costuma ser mais rápida e menos dolorosa.

Após a operação, há necessidade de repetir as análises (GCH), para se confirmar a remoção de todos os tecidos relacionados com a gravidez ectópica.

Se houve grandes perdas de sangue, pode ser necessário realizar transfusões sanguíneas e tomar medicação em casa até recuperar.

 

Prognóstico

Numa gravidez ectópica, qualquer que seja o tratamento, há sempre a morte do embrião.

Se o tratamento foi eficaz com medicação, não há problemas para voltar a engravidar. Se houve necessidade de retirar uma das trompas, ou se esta rompeu, a ovulação é igual como antes, mas tem 50% de hipótese de fecundar.

Se o tratamento foi cirúrgico, ou se a outra trompa estiver com alterações há maior probabilidade de ter gravidez ectópica por causa de possíveis aderências.

Se a causa foi o DIU, este ao ser retirado não aumenta o risco de próximas gravidezes, por esse motivo.

Se pensar engravidar novamente, é aconselhável esperar pelo menos 3 meses para poder recuperar fisicamente. Há mulheres que optam por tentar engravidar mais cedo, como estratégia para ultrapassar a perda e o processo de recuperação. Outras ficam muito deprimidas e ansiosas quando pensam no assunto.

Se voltar a engravidar, deve consultar o médico assim que desconfiar, ou se apresentar sangramento ou dor. Se for observada por outro médico, deve informar que já teve uma gravidez ectópica.

Ter uma gravidez ectópica é uma experiência inesquecível, mas pense que a possibilidade de ter uma gravidez normal é maior do que a de ter uma ectópica.

 

Referencias: Enciclopédia Familiar da Saúde - Editora: Ediclube,
Enciclopédia Médica da Família - Editora: Livraria Civilização Editora,
Portal da Saúde

 

Última atualização desta página:

Poderá querer ler também sobre
      

publicidade

   

Faça o seu comentário

rosa on 03/04/2009 20:27:28
avatar
Peço que as mulheres que sentirem dores abdominais, procurem logo um medico, e não fiquem achando que seja uma bobagem como gases apenas como eu pensei, demorei muito a procurar um me´dico, fiz medicação por conta própria e quando cheguei no hospital já estava quase morrendo.
Thumbs Up Thumbs Down
2
Tatiane modesto dos santos on 26/05/2009 22:40:26
avatar
EU TIVE GRAVIDEZ ECTOPICA A SORTE FOI Q EU PROCUREI O MEDICO RAPIDO,S NAO A COISA IA FICAR FEIA.PORTANTO ASSIM Q TIVER COM ESSES SINTOMAS PROCURE O MEDICO O MAIS RAPIDO POSSIVEL.E TENHA FE EM DEUS.
Thumbs Up Thumbs Down
0
gisela montenegro on 26/06/2009 10:55:39
avatar
estava gravida mas fui 2 vezes ao hospital para dizer k sentia mts dores,cansaço e mau estar.
das 2 vezes uma delas foi-me dito k abortei e eu fikei mais descansada.
á 3 vez que voltei ao hospital sentia fortes dores na barriga e um grande aumento da mesma.
disseram k ñ tinha feto e a maquina para fazer uma ecografia obstetrica estava avariada.
fui para casa pois com as dores ñ aguentava esperar na sala de espera até haver uma maquina disponivel e além disso tinham dito que tinha abortado.
eram 03h e ñ conseguia dormir,sentia imensas dores na barriga e um grande inchaço na mesma.
estava sem forças,sentia-me desfalecer e nem respirar já conseguia.
fui para o hospital e desmaiei. depois de examinarem-me mais pormenorizadamente detectaram que tinha uma gravidez etocpica e fui imediatamente conduzida para a sala de operações.
a operação ñ a senti mas agora(passado uma semana e 2 dias)sinto como se estivesse gravida e ando mt sensibilizada.
Thumbs Up Thumbs Down
0
claudia on 17/07/2009 11:21:22
avatar
Tive uma gravidez ectópida recentemente pelo que este assunto ainda me custa imenso. Não fui operada, o tratamento deu resultado. Passados 2 meses ainda sinto tudo muito presente, o frantasma da ectópica ainda me pressegue e tenho muito medo em voltar a tentar.
Existe a dúvida, o medo e a imensa vontade em ser MÃE.
Thumbs Up Thumbs Down
2
Patricia silva on 22/09/2009 01:13:42
avatar
Amigas minha historia é bem parecida com as de vcs. agora dia 25/08 descobri que estava gravida. fui a um obstetra, e ele não deu atenção devida na hora de fazer minha ultra, e não viu que estava com gravidez tubaria. me receitou remedios para gestação, e me liberou. 3 dias depois começei com as dores fortes no abdomen, e um inchaço anormal. ía no medico ele tratava como gases, tomei muito buscopan composto na veia. amigas quaze morri!!! fiquei uma semana perdendo sangue com heorragia interna, perdendo a cor, uma palidez horrivel, já não aguentava nem levantar do sofá. fui a outro ginecologista, esse constatou o problema, e ficou apavorado, pois ja tava com muito sangue no abdomen, meu hematócrito estava 18!! tive q ir as pressas para cirurgia, tomei sangue, soro, e graças a Deus correu tudo bem. muita tenção entre os medicos e meus familiares. hoje estou com uma semana e dois dias de operada. tomando os remedios direitinho, cuidando da anemia, e fazendo repouso total. estou triste pelo primeiro obstetra não ter visto q era tubaria, poderia ter me evitado todo esse susto. mas enfim.. agradeço a Deus a todo momento. perdi uma trompa. espero poder ajudar a todas q precisarem. descobriu gravidez, por favor não de bobeira. faça 2 ultras com medicos diferentes, confirme que esta tudo certinho. para não passar por tudo q passei amigas. um forte abraço. bjs e luz. Patricia.
Thumbs Up Thumbs Down
5
on 29/09/2009 15:04:27
avatar
tambem tive uma gravidez ectopica seguida de uma hemorragia , perdi uma trompa , e sofri uma cesarea e uma laparotomia , hoje tenho muito medo de engravidar novamente , tenho 22 anos e sofri demais foi muita dor .
Thumbs Up Thumbs Down
4
simone on 29/09/2009 22:10:26
avatar
Estou gravida de 6 semanas.
Minha gravides e nas trompas,meu medico pediu que aguardase mais alguns dias,p/ observa se o embrião vai ser emplantado no utero,sinto muita dor,tenho diarreia e vertigens .
Sera que esta certo eu esperar ?
Thumbs Up Thumbs Down
-3
Maria Oliveira on 30/09/2009 22:44:49
avatar
O Conhecer Saúde não é constituído por médicos. Os artigos têm por base a pesquisa bibliográfica e conhecimento pessoal. De acordo com a pesquisa, os sintomas que tem são característicos da gravidez ectópica. Não deve esperar muitos dias. Tem que ter vigilância muito apertada. Tem todo o direito em procurar outro médico com urgência.
Thumbs Up Thumbs Down
4
Danielle on 13/10/2009 14:43:38
avatar
Olá... lá vai o meu depoimento tb...
Tenho 23 anos e um filho de 2 anos.. Á 15 dias comecei a ter queda de pressão,diarréia forte e consequentemente crises de desmaios, sangrei bastante e confundi com a menstruação, a barriga começou a inchar e sentia fortes dores abdominais e ao urinar e defecar, procurei o médico e o mesmo apenas passou remédio para pressão e pediu que tomasse soro caseiro o dia todo p/ cortar a diarréia... Até q no dia 02/10 passei mto mal e procurei outro médico, este me colocou no soro e fez mta medicação e tb o exame de sangue minha barriga estava enorme e tinha suspeita, o exame deu positivo, qse tive um treco.. jamais imaginaria uma gravidez pois estava menstruando, na saida do hospital minha pressão caiu e desmaiei, mto fraca fiq desacordada e inconciente, qdo acordei outro médico logo de emergência fez a ultrasom ultravaginal e constatou q a gravidez não estava no útero e sim entre a trompa e o ovário direito e estava com hemorragia interna mto grande... tinha q operar naquele momento pois não resistiria, fui operada, perdi 3 litros de sangue devido a hemorragia e retirado o feto, tb um pedaço da trompa e do ovário, estava com 8 semanas... hj estudo mto sobre esse assunto, aprofundo cada dia mais sobre o que houve comigo, estou com 1 semana e 4 dias de operada... Louvo a Deus q sai dessa sem sequelas...
Thumbs Up Thumbs Down
1
cristina francisco sodre on 28/10/2009 11:13:22
avatar
ola minhas amigas tbem tive o mesmo problemas q voces uma gravidez etopica,mas a minha gravidez rebentou na barrigae tiveram q me tirar uma tromba quaze morria ai sou deus sabe e engravidei novamente depois de 1 ano e teve o mesmo problema mais uma etopica estou apavorada e tho medo de ter filhos novamente hajo q isso nao me vai desaparecer na mente e muit azar.
Thumbs Up Thumbs Down
-4
1 2 3 4 5 next 43 1 - 10
  • email Enviar a um amigo
  • print Versão p/ impressão
  • Plain text Texto
  • Plain text Acompanhe o Conhecer Saude no Twitter




Info do(a) Autor(a)
image , concluiu Curso Superior de Enfermagem em 1996 e a Licenciatura em Enfermagem em 2001. Fez em 2003 o Curso Inicial de Formadores e renovou em 2008. Editora do Conhecer Saúde.
Health On the Net Foundation


Publicidade